Roteiro de São Paulo ao Rio de Janeiro com chuva

Roteiro de São Paulo ao Rio de Janeiro com chuva

Diário de um Rider Roncco: de São Paulo ao Rio de Janeiro

André foi buscar a moto em São José dos Campos e voltou para São Paulo de onde partiria para sua viagem, ou, como o próprio prefere dizer: passeio. 

“Porque pilotar uma moto é mais do que olhar para o destino, é aproveitar o caminho, curtir o passeio.”

Partindo de São Paulo com destino ao Rio de Janeiro, percurso que já está super acostumado a fazer, a chuva começou e não deu trégua. Foram vários dias de chuva durante sua locação de 12 diárias.

“Eu adoro andar de moto na chuva, mas é questão de gosto. E minha esposa não gosta. Vai de cada um.”

 

André Albuquerque Rider Roncco
André Albuquerque e a BMW locada na Roncco
Andre Albuquerque Rider Roncco
BMW F850 da comunidade Roncco

Acabou que a chuva atrapalhou bastante os planos, mas não atrapalhou a mototerapia, segundo André.

André Albuquerque é engenheiro elétrico e tem residência em 3 cidades: São Paulo, Recife e Rio de Janeiro. Para ele, estar em trânsito é rotina, mas sempre que pode, prefere trocar a ponte aérea pela estrada em duas rodas. 

Mesmo com a agenda cheia de reuniões no Rio, os momentos de moto foram um oásis para a mente: “Paro, me desconecto de tudo, só olho para a moto, a pista e a natureza à minha frente, e isso é muito bom para mim.”

“Curta a terapia de duas rodas”

Motociclista há mais de 30 anos, recentemente vendeu a sua moto e, para manter sua mototerapia ativa, procurou uma locadora de motos, quando encontrou, online, a Roncco.

O grande diferencial da Roncco foi o contato direto com o proprietário da moto que, para ele, foi super importante. O contato foi tão bacana que o networking evoluiu para um contato de trabalho e ambos mantêm se falando desde então.

De resto, segundo André, foi tudo tranquilo: cadastro, vistoria, check in e check out! 

Conheça o roteiro completo dessa viagem!

Roteiro da viagem

Saindo de São Paulo pela SP 070, Rodovia Ayrton Senna e depois Rodovia Carvalho Pinto, que considera uma estrada melhor para rodar de moto em comparação à Dutra, a primeira dica do André é curtir o trecho entre as cidades de Taubaté em São Paulo e Itatiaia no Rio de Janeiro. A estrada é muito boa, tem uma paisagem linda e pontos turísticos para visitar, como a Igreja de São Benedito, que fica em Resende, já do lado do Rio de Janeiro.

Se tiver saído de São Paulo já na parte da tarde, outra dica é pernoitar no distrito de Penedo, em Itatiaia, que dista aproximadamente 286 km da capital paulista. Uma região muito gostosa, onde acontecem grandes encontros de motociclistas e é também muito acolhedora, segundo André. 

Com uma busca rápida no Google, vê-se que Penedo é conhecido como o único bairro tipicamente finlandês do Brasil e não mede esforços na decoração.

Passando por lá visite algum dos pontos turísticos mais famosos de Penedo: Pequena Finlândia, Casa de Verão do Papai Noel, Shopping Vale dos Duendes, Museu Finlandês Dona Eva Hilden, Lojas e fábricas de chocolate, Poço das Esmeraldas, Cachoeiras em Penedo, Serrinha do Alambari, Pico do Penedinho, Passeio de quadriciclo, Parque Nacional de Itatiaia e o Jazz Village. 

Para pernoitar em Penedo, André sugere duas pousadas:

Pousada do Lago 

Endereço: Av. das Mangueiras, 200 – Penedo, Itatiaia – RJ, 27580-000

Site da pousada: https://penedopousadadolago.com.br/ 

Um pouquinho mais afastada do centro, local bem alto, para quem procura mais sossego, a

Pousada Stohler Haus

Endereço: Rua do Contôrno ou (rua Ismar Seixas, 176, próxima ao museu finlandēs) – Penedo, Itatiaia – RJ, 27598-000

Site da pousada: http://stohler-haus.blogspot.com/ 

Chegando no Rio, os planos foram levados pela chuva. Ficaram os dias na cidade fazendo passeios curtos de moto, até as praias e redondezas, somente curtindo o rolê, sem muito destino.

André conta que a falta de equipamento adequado para chuva foi o que mais atrapalhou. Até compraram uma capa mais simples, mas não adiantou com toda água que caia. 

Dica do André: revise as condições da moto e tenha o equipamento adequado para pilotar na chuva. Mesmo com temperaturas amenas, ficar todo molhado e com o vento da moto, dá frio.

Onde comer na estrada:

Na Ida São Paulo > Rio de Janeiro:

Graal Markets na SP 070 – veja aqui 

Mamão Restaurante (lugar muito point para encontrar outros motociclistas!) – veja aqui.

Tanto na ida, quanto na volta

(vale a pena fazer a volta) 

Perto do Rio de Janeiro: Graal Resendeveja aqui  

Perto de São Paulo: Parque Interlagos, que é point de motos. Lá tem: Madero Container, Frango Assado e Jeronimo Track – veja aqui

Onde abastecer:

André não faz um planejamento de postos para abastecer para o percurso São Paulo – Rio. Há muitos postos de gasolina tanto na ida, quanto na volta. A moto que locou tem autonomia de quase 400Km então seguiu sua regra básica: tanque na metade, já enche no próximo posto e fica garantido.

Dica do André: não pare em postos que não conhece e, em estradas novas, procure grandes redes de postos para evitar combustível adulterado. Não corra risco.

“Ter moto é ter experiências muito intensas. Suba na moto que você pode, sorria o máximo que você conseguir.”

 

Curtiu essa trip?

Faça como o André: alugue uma moto na Roncco e pegue a estrada. Curta a terapia de duas rodas e faça parte da comunidade de motociclistas que mais cresce no Brasil!

Deixe um comentário